Case Study: Prisão de Bastoy




No seguimento da nova página publicada no site da APAC, Quem Somos, e dos Casos de Estudo presentes, vamos lançar uma série de blog posts a apresentar os casos de estudo desenvolvidos e que nos inspiram para melhorarmos o nosso sistema prisional.


Hoje apresentamos a prisão de Bastoy, que se situa na ilha de Bastoy, na Noruega. Tem cerca de 125 reclusos, e foi considerada pela CNN como a prisão mais humana do mundo.

É uma prisão, que se foca na reabilitação de reclusos através de métodos alternativos ao sistema prisional convencional.

Aos reclusos são dadas responsabilidades, pois considera-se que a responsabilidade é uma ferramenta essencial para o processo de reinserção daqueles que se encontram condenados a penas privativas de liberdade.

Para além disso, a boa relação entre reclusos e guardas, onde estes últimos tendem a ser vistos mais como supervisores e técnicos de reinserção do que como guardas prisionais, é considerado um fator de sucesso.


País: Noruega Nº de casas de detenção: 1 Ano de criação: 1982

Fontes de receita: Governo Norueguês



Pilares Presentes





Pequena Integração Tratamento

Dimensão Comunitária Diferenciado

Principais Números

Taxa de reincidência Noruega: 20%

Taxa de reincidência Prisão de Bastoy: 16%

Custo reclusos na Noruega: 358€

Custo reclusos na Prisão de Bastoy: 170€

Capacidade

Total de reclusos em CDDs: 125

Nº de pedidos de admissão/ano: -

Tempo até admissão: 3 meses lista de espera

% população prisional na Prisão de Bastoy: ~3%

Recursos Humanos

Nº de staff por CDD: 80

Nº de voluntários por CDD: NA

Trabalho

Negócios sociais e outras vertentes de trabalho

Agricultura;

- Manutenção de algumas instalações da ilha onde a prisão está localizada;

Manutenção de barcos;

Cozinha;

Algumas empresas privadas.

Fatores Críticos de Sucesso

Formação de desenvolvimento pessoal e em soft Skills;

Valorização Humana;

Foco na reabilitação;

Guardas são vistos como supervisores;

Respeito mútuo;

Co-responsabilização dos reclusos;


Rotina

06:00h - Chegada dos guardas

07:00h - Acordar

08:00h - Atividades de formação (escola ou trabalho)

15:00h - Jantar

16:00h - Lazer

22:30h - Recolha Obrigatório



Outros Dados

Admissão: Cerca de 90% dos reclusos Noruegueses candidatam-se para poderem cumprir a sua pena em Bastoy.

Prisão Ecológica: Não são usados pesticidas na produção de alimentos.

Guardas: Para ser guarda prisional na Noruega, é necessário um curso superior e são feitas várias entrevistas durante o processo de admissão para se avaliar o perfil. Os guardas são vistos como supervisores e técnicos de reinserção. As relações interpessoais entre guardas e reclusos são de respeito mútuo. “Comportamento gera comportamento”.

ViolênciaEm 30 anos ocorreu apenas 1 caso de violência na prisão de Bastoy.

Empregabilidade: É dado especial atenção à empregabilidade durante a estadia em Bastoy e após reclusão.

ONG's: A Cruz Vermelha e a Prison Fellowship, são algumas das ONG’s que atuam em Bastoy. Outras apoiam mais ao nível da empregabilidade aquando da liberdade e após a reclusão.

Comunidade: Em Bastoy, não existe um contacto frequente com a comunidade por se tratar de uma ilha, no entanto existe um dia por ano em que a prisão abre à comunidade para que estes fiquem a conhecer a realidade prisional e as histórias de vida dos reclusos.

128 visualizações
SIGA-NOS:
  • Facebook APAC Portugal
  • Instagram APAC
  • Linkedin APAC Portugal
  • Youtube APAC Portugal
  • RSS Blog APAC Portugal
NEWSLETTER:
MAPA
DO SITE:
DOCUMENTOS OFICIAIS:
© 2020  APAC Portugal | Todos os direitos reservados | geral@apac-portugal.pt