Case Study: Prisão de Bastoy


Seehaus Prison Fellowship Prison system Rescaled Movement APAC Todo o Homem é maior que o seu erro


No seguimento da nova página publicada no site da APAC, Quem Somos, e dos Casos de Estudo presentes, vamos lançar uma série de blog posts a apresentar os casos de estudo desenvolvidos e que nos inspiram para melhorarmos o nosso sistema prisional.


Hoje apresentamos a prisão de Bastoy, que se situa na ilha de Bastoy, na Noruega. Tem cerca de 125 reclusos, e foi considerada pela CNN como a prisão mais humana do mundo.

É uma prisão, que se foca na reabilitação de reclusos através de métodos alternativos ao sistema prisional convencional.

Aos reclusos são dadas responsabilidades, pois considera-se que a responsabilidade é uma ferramenta essencial para o processo de reinserção daqueles que se encontram condenados a penas privativas de liberdade.

Para além disso, a boa relação entre reclusos e guardas, onde estes últimos tendem a ser vistos mais como supervisores e técnicos de reinserção do que como guardas prisionais, é considerado um fator de sucesso.


País: Noruega Nº de casas de detenção: 1 Ano de criação: 1982

Fontes de receita: Governo Norueguês



Pilares Presentes

Rescaled Movement APAC Portugal Pequena Dimensão Casas de Detenção Sistema Prisional
Rescaled Movement APAC Portugal Integração Comunitária Casas de Detenção Sistema Prisional
Rescaled Movement APAC Portugal Tratamento Diferenciado Casas de Detenção Sistema Prisional




Pequena Integração Tratamento

Dimensão Comunitária Diferenciado

Principais Números

Taxa de reincidência Noruega: 20%

Taxa de reincidência Prisão de Bastoy: 16%

Custo reclusos na Noruega: 358€

Custo reclusos na Prisão de Bastoy: 170€

Capacidade

Total de reclusos em CDDs: 125

Nº de pedidos de admissão/ano: -

Tempo até admissão: 3 meses lista de espera

% população prisional na Prisão de Bastoy: ~3%

Recursos Humanos

Nº de staff por CDD: 80

Nº de voluntários por CDD: NA

Trabalho

Negócios sociais e outras vertentes de trabalho

Agricultura;

- Manutenção de algumas instalações da ilha onde a prisão está localizada;

Manutenção de barcos;

Cozinha;

Algumas empresas privadas.

Fatores Críticos de Sucesso

Formação de desenvolvimento pessoal e em soft Skills;

Valorização Humana;

Foco na reabilitação;

Guardas são vistos como supervisores;

Respeito mútuo;

Co-responsabilização dos reclusos;


Rotina

06:00h - Chegada dos guardas

07:00h - Acordar

08:00h - Atividades de formação (escola ou trabalho)

15:00h - Jantar

16:00h - Lazer

22:30h - Recolha Obrigatório



Outros Dados

Admissão: Cerca de 90% dos reclusos Noruegueses candidatam-se para poderem cumprir a sua pena em Bastoy.

Prisão Ecológica: Não são usados pesticidas na produção de alimentos.

Guardas: Para ser guarda prisional na Noruega, é necessário um curso superior e são feitas várias entrevistas durante o processo de admissão para se avaliar o perfil. Os guardas são vistos como supervisores e técnicos de reinserção. As relações interpessoais entre guardas e reclusos são de respeito mútuo. “Comportamento gera comportamento”.

ViolênciaEm 30 anos ocorreu apenas 1 caso de violência na prisão de Bastoy.

Empregabilidade: É dado especial atenção à empregabilidade durante a estadia em Bastoy e após reclusão.

ONG's: A Cruz Vermelha e a Prison Fellowship, são algumas das ONG’s que atuam em Bastoy. Outras apoiam mais ao nível da empregabilidade aquando da liberdade e após a reclusão.

Comunidade: Em Bastoy, não existe um contacto frequente com a comunidade por se tratar de uma ilha, no entanto existe um dia por ano em que a prisão abre à comunidade para que estes fiquem a conhecer a realidade prisional e as histórias de vida dos reclusos.

162 visualizações